Antonin Artaud: Carta aos Médicos-chefes dos Manicômios (1925)

Por Antonin Artaud | Trad.: Cláudio Willer Senhores, As leis e os costumes vos concedem o direito de medir o espírito. Essa jurisdição soberana e temível é exercida com vossa razão. Deixai-nos rir. A credulidade dos povos civilizados, dos sábios, dos governos, adorna a psiquiatria de não sei que luzes sobrenaturais. O processo da vossa profissão … Continue lendo Antonin Artaud: Carta aos Médicos-chefes dos Manicômios (1925)

Antonin Artaud – Segurança Pública: A Liquidação do Ópio (1925)

Um dos manifestos surrealistas de Antonin Artaud, divulgado em La Révolution Surréaliste em 1925, intitula-se Segurança Pública: A Liquidação do Ópio (publicado no Brasil em Escritos de Antonin Artaud, tradução, notas e prefácio de Claudio Willer, L&PM, 1983 e reedições). Nele, o futuro criador do Teatro da Crueldade, antecipando o que ainda diria a respeito em suas Cartas de Rodez e … Continue lendo Antonin Artaud – Segurança Pública: A Liquidação do Ópio (1925)

Beatriz Preciado: “Nós dizemos revolução”

Por Beatriz Preciado | Trad.: Bárbara Szaniecki Parece que os gurus da velha Europa se obstinam ultimamente a querer explicar aos ativistas dos movimentos Occupy, Indignados, handi-trans-gays-lésbicas-intersex e postporn que não poderemos fazer a revolução porque não temos uma ideologia. Eles dizem “uma ideologia” como minha mãe dizia “um marido”. Pois bem, não precisamos nem … Continue lendo Beatriz Preciado: “Nós dizemos revolução”