Filosofia, História, Política

“Após a orgia”, por Jean Baudrillard

por Jean Baudrillard | trad.: Estela dos Santos Abreu Se fosse caracterizar o atual estado de coisas, eu diria que é o da pós-orgia. A orgia é o momento explosivo da modernidade, o da liberação em todos os domínios. Liberação política, liberação sexual, liberação das forças produtivas, liberação das forças destrutivas, liberação da mulher, da… Continuar lendo “Após a orgia”, por Jean Baudrillard

Arte, Política

O Direito à Literatura, por Antônio Cândido

O assunto que me foi confiado nesta série é aparentemente meio desligado dos problemas reais: “Direitos humanos e literatura”. As maneiras de abordá-lo são muitas, mas não posso começar a falar sobre o tema específico sem fazer algumas reflexões prévias a respeito dos próprios direitos humanos. É impressionante como em nosso tempo somos contraditórios neste… Continuar lendo O Direito à Literatura, por Antônio Cândido

Experimentação, Filosofia, Política

Gilles Deleuze: Duas questões sobre a droga.

por Gilles Deleuze | Trad.: Guilherme Ivo São apenas duas questões. Vê-se muito bem que não se sabe o que fazer com as drogas (mesmo os drogados), mas também não se sabe como falar delas. Ora se invocam prazeres, difíceis de descrever e que já supõem a droga. Ora, ao contrário, invocam-se, causalidades demasiadamente gerais, extrínsecas… Continuar lendo Gilles Deleuze: Duas questões sobre a droga.

Filosofia, Política

Os engajamentos políticos de Gilles Deleuze, por François Dosse

Os Engajamentos Políticos de Gilles Deleuze[i] por François Dosse[ii] | Trad.: Germaine Mandelsaft O horizonte político, no sentido amplo do termo, atravessa o pensamento de Gilles Deleuze e seu trajeto intelectual é pontuado por engajamentos. No entanto, sua posição difere daquela do intelectual engajado, porta-voz da justiça, frente à razão de Estado, à maneira de Sartre, durante… Continuar lendo Os engajamentos políticos de Gilles Deleuze, por François Dosse

Filosofia, Política

“Essa crise (que não é só econômica…)”, por Félix Guattari

"Falamos uma outra linguagem. Eles dizem representação. Nós dizemos experimentação. Eles dizem identidade. Nós dizemos multidão. Eles dizem controlar a periferia. Nós dizemos mestiçar a cidade. Eles dizem dívida. Nós dizemos cooperação sexual e interdependência somática. Eles dizem capital humano. Nós dizemos aliança multi-espécies. Eles dizem carne de cavalo nos nossos pratos. Nós dizemos montemos… Continuar lendo “Essa crise (que não é só econômica…)”, por Félix Guattari

Política

Félix Guattari entrevista Luiz Inácio Lula da Silva (1982)

Para o leitor brasileiro o entrevistado, Lula, dispensa apresentações. O mesmo não se dá com o entrevistador, o francês Félix Guattari. Se quiséssemos apresentá-lo convenientemente, seria preciso lembrar suas inúmeras facetas: a do psicanalista que trabalha há anos na clínica psiquiátrica de La Borde; a do crítico literário, coautor de um brilhante ensaio sobre Kafka;… Continuar lendo Félix Guattari entrevista Luiz Inácio Lula da Silva (1982)

Experimentação, Filosofia, Política

Sennett & Foucault: Sexualidade e Solidão

por Richard Sennett e Michel Foucault | Trad.: Lígia Melo da Costa, Maria Beatriz Chagas Lucca e Sérgio Augusto Chagas de Laia Richard Sennett: Há poucos anos atrás, Michel Foucault e eu descobrimos que estávamos interessados no mesmo problema, em períodos históricos bem diferentes. O problema é por que a sexualidade se tornou tão importante para… Continuar lendo Sennett & Foucault: Sexualidade e Solidão

Filosofia, Política, Semiologia

Gilles Deleuze: “Dois Regimes de Loucos”

Por Gilles Deleuze | Trad.: Guilherme Ivo 1. Indagamos hoje não qual a natureza do poder, mas antes, assim como Foucault, como ele se exerce, em que lugar se forma e por que ele está em toda parte. Comecemos por um pequeníssimo exemplo, o titeriteiro. Ele tem um certo poder de agir sobre as marionetes… Continuar lendo Gilles Deleuze: “Dois Regimes de Loucos”

Filosofia, Política

É inútil revoltar-se?, por Michel Foucault

Por Michel Foucault | Trad.: Vera Lúcia Avellar Ribeiro "Para que o xá se vá, estamos prontos para morrer aos milhares", diziam os iranianos no verão passado. E o aiatolá, recentemente: "Que o Irã sangre, para que a revolução se fortaleça." Estranho eco entre essas frases que parecem se encadear. O horror da segunda condena a embriaguez da… Continuar lendo É inútil revoltar-se?, por Michel Foucault

Experimentação, Política

Antonin Artaud: O Suicídio É Uma Solução? (1925)

Por Antonin Artaud | Trad.: Cláudio Willer O Suicídio É Uma Solução? [resposta de Artaud a uma enquete surrealista] Não, o suicídio ainda é uma hipótese. Quero ter o direito de duvidar do suicídio assim como de todo o restante da realidade. É preciso, por enquanto e até segunda ordem, duvidar atrozmente, não propriamente da existência,… Continuar lendo Antonin Artaud: O Suicídio É Uma Solução? (1925)

Política

Antonin Artaud: Carta ao Papa (1925)

Por Antonin Artaud | Trad.: Cláudio Willer O confessionário não é você, oh Papa, somos nós; entenda-nos e que os católicos nos entendam. Em nome da Pátria, em nome da Família, você promove a venda das almas, a livre trituração dos corpos. Temos, entre nós e nossas almas, suficientes caminhos para percorrer, suficientes distâncias para que neles… Continuar lendo Antonin Artaud: Carta ao Papa (1925)

Política

Antonin Artaud: Carta aos Médicos-chefes dos Manicômios (1925)

Por Antonin Artaud | Trad.: Cláudio Willer Senhores, As leis e os costumes vos concedem o direito de medir o espírito. Essa jurisdição soberana e temível é exercida com vossa razão. Deixai-nos rir. A credulidade dos povos civilizados, dos sábios, dos governos, adorna a psiquiatria de não sei que luzes sobrenaturais. O processo da vossa profissão… Continuar lendo Antonin Artaud: Carta aos Médicos-chefes dos Manicômios (1925)

Arte, Experimentação, Política

Antonin Artaud – Segurança Pública: A Liquidação do Ópio (1925)

Um dos manifestos surrealistas de Antonin Artaud, divulgado em La Révolution Surréaliste em 1925, intitula-se Segurança Pública: A Liquidação do Ópio (publicado no Brasil em Escritos de Antonin Artaud, tradução, notas e prefácio de Claudio Willer, L&PM, 1983 e reedições). Nele, o futuro criador do Teatro da Crueldade, antecipando o que ainda diria a respeito em suas Cartas de Rodez e… Continuar lendo Antonin Artaud – Segurança Pública: A Liquidação do Ópio (1925)

Arte, Filosofia, Política

Suely Rolnik – Casa das Rosas, 2008

Palestra de Suely Rolnik em 25/11/2008 na Casa das Rosas em São Paulo. Suely Rolnik é psicoterapeuta, crítica cultural, professora e integrante do Núcleo de Estudos da Subjetividade da PUC-SP, além de professora convidada do Programa de Estudos Indepentendes do Museu de Arte Contemporânea de Barcelona.

Política

Beatriz Preciado: “Nós dizemos revolução”

Por Beatriz Preciado | Trad.: Bárbara Szaniecki Parece que os gurus da velha Europa se obstinam ultimamente a querer explicar aos ativistas dos movimentos Occupy, Indignados, handi-trans-gays-lésbicas-intersex e postporn que não poderemos fazer a revolução porque não temos uma ideologia. Eles dizem “uma ideologia” como minha mãe dizia “um marido”. Pois bem, não precisamos nem… Continuar lendo Beatriz Preciado: “Nós dizemos revolução”