Witold Gombrowicz: Quanto mais inteligência, mais estupidez

A razão é demasiado sabia para poder defender-se da sua estupidez mais estúpida. Quanto mais nobre é a qualidade da razão, tanto mais infame é a categoria da estupidez que lhe corresponde. Os métodos da episteme humanista ocidental são tanto mais exatos quanto mais indefinido é seu objeto, tanto mais científicos quanto menos se presta … Continue lendo Witold Gombrowicz: Quanto mais inteligência, mais estupidez

Carta de Wanda Dunajew a Sacher-Masoch

Por: Wanda Dunajew  |  Trad.: Rodrigo Lucheta Léopold Sacher-Masoch, autor de “A Vênus das Peles”, adaptada para o cinema por Roman Polanski, é mais que o pai espiritual do masoquismo, pois ele viveu em si mesmo os gozos cruéis e infinitos. A seu pedido, sua mulher Aurora Rûmelin, que ele chamava Wanda de Dunajew, lhe … Continue lendo Carta de Wanda Dunajew a Sacher-Masoch

[Conto] Maura Lopes Cançado: ‘No Quadrado de Joana’

Por: Maura Lopes Cançado Maura Lopes Cançado (1929 – 1993) teve uma vida tumultuada. De jovem da alta sociedade de Belo Horizonte, onde muito moça chegou a ser aviadora, por ser muito “avançada” acabou sendo rejeitada pela “tradicional família mineira”, passando a viver uma existência precaríssima e fatal no Rio de Janeiro. Diagnosticada como esquizofrênica, … Continue lendo [Conto] Maura Lopes Cançado: ‘No Quadrado de Joana’

Entrevista do poeta Narciso de Andrade ao jornalista Márcio Calafiori

O cinema era novo e a literatura, antiga Márcio Calafiori A entrevista a seguir com o poeta Narciso de Andrade, jamais publicada, foi feita na sua casa, em 28 de novembro de 2000, uma tarde de terça-feira. A princípio, ele não queria conversar. Alegou por telefone que estava cansado, doente e com a memória e … Continue lendo Entrevista do poeta Narciso de Andrade ao jornalista Márcio Calafiori

Entrevista de Gilberto Mendes ao jornalista Márcio Calafiori

[Entrevista publicada no nº. 86 da Mirante - Revista Literária Santista, de julho de 2014]   A elite não tem o direito de ser ignorante   Nessa entrevista inédita, realizada em junho de 2001, o maestro, compositor erudito e idealizador do Festival de Música Nova, Gilberto Mendes, fala sobre a importância do Clube de Cinema de … Continue lendo Entrevista de Gilberto Mendes ao jornalista Márcio Calafiori

Anaïs Nin: Retratos de Antonin Artaud

[Os textos que seguem foram retirados dos Diários de Anaïs Nin (Vol. 1, 1931-1933). Anaïs e Artaud se conheceram através de René Allendy, psicanalista destacado na época, com o qual Anaïs chegou a fazer terapia. Os textos dão a ver tanto a recepção da figura de Artaud pela sensibilidade de Anaïs Nin, como também, em … Continue lendo Anaïs Nin: Retratos de Antonin Artaud

Friedrich Nietzsche: Para a teoria do estilo. (carta a Lou Salomé)

Por: Friedrich Nietzsche | Trad.: José Carlos Martins Barbosa.   Para a teoria do estilo.   1. A primeira coisa necessária é vida: o estilo deve estar vivo. 2. O estilo deve ser apropriado a ti em vista de outra pessoa bem definida com a qual queres te comunicar (lei da dupla relação). 3. Antes de escrever, deveríamos … Continue lendo Friedrich Nietzsche: Para a teoria do estilo. (carta a Lou Salomé)

Por que é preciso ler a Ética de Spinoza aceleradamente?

Por Jean-Clet Martin | Trad.: Rodrigo Lucheta   Por que é preciso ler a “Ética” de Spinoza aceleradamente? Não podemos ler a Ética com lupa, acentuando o realismo de cada recorte, de cada seção. Isso seria como uma fotografia, aproximada de maneira molecular e por granulações. A Ética é um livro de velocidade. Sua leitura, como … Continue lendo Por que é preciso ler a Ética de Spinoza aceleradamente?

Antonin Artaud – Segurança Pública: A Liquidação do Ópio (1925)

Um dos manifestos surrealistas de Antonin Artaud, divulgado em La Révolution Surréaliste em 1925, intitula-se Segurança Pública: A Liquidação do Ópio (publicado no Brasil em Escritos de Antonin Artaud, tradução, notas e prefácio de Claudio Willer, L&PM, 1983 e reedições). Nele, o futuro criador do Teatro da Crueldade, antecipando o que ainda diria a respeito em suas Cartas de Rodez e … Continue lendo Antonin Artaud – Segurança Pública: A Liquidação do Ópio (1925)

O liso e o estriado: Beethoven e Steve Reich (por Silvio Ferraz)

por Silvio Ferraz "O ponto que pretendo alcançar nesta leitura é aquele que diz respeito à forma musical. Para falar de forma tomarei por base a definição de Boulez - e Deleuze a partir de Boulez - para espaço e tempo liso ou estriado. A razão é simples, distingue-se de fato de um lado a … Continue lendo O liso e o estriado: Beethoven e Steve Reich (por Silvio Ferraz)